Trabalho no lixão municipal, tem sido acompanhado pelo o corpo de bombeiro Militar de Guarantã
“O trabalho do lixão municipal tem sido um trabalho de medicação, para tentar amenizar a quantidade de fumaça que estar sendo exalada por este fogo. Orientamos a população que faz uso do lixão para fazer descartes dos seus lixos domésticos, que não ateiem
Publicado em: 10/09/2018 ás 14:29:00 Autor: Souza, de J. Fonte: Assessoria de comunicação

Uma sociedade cada dia mais consumista, tal como vem se configurando a sociedade brasileira, associado ao crescimento populacional, têm gerado graves problemas ambientais. O lixo urbano mal administrado é uma dessas situações e que tem afetado a saúde da população planetária, e Guarantã do Norte não está imune a este problema. A população residente em Guarantã do Norte é de 34.500 habitantes (IBGE 2017), a quantidade de lixo produzido é elevada, principalmente lixo doméstico, que é composto de papelão, vidro, latas, plásticos, sobras de alimentos etc.

O Coordenador municipal de defesa Civil Dionaldi de Souza, juntamente com as demais secretarias responsáveis que atendendo a pedido da população explica o trabalho que estar sendo realizado no lixão municipal.

“O trabalho do lixão municipal tem sido um trabalho de medicação, para tentar amenizar a quantidade de fumaça que estar sendo exalada por este fogo. Orientamos a população que faz uso do lixão para fazer descartes dos seus lixos domésticos, que não ateiem fogo, pois todos somos prejudicados”, alertou o coordenador de defesa civil.

O Terceiro Sargento Moacir Raimundo Machado do núcleo avançado do corpo de bombeiros de Guarantã, que tem oferecido um apoio técnico fala do trabalho que estar sendo realizado e também deixa algumas orientações a população Guarantãense. Em sua fala, fala da importância de se observar sobre a questão de colocar fogo, além de ser muito perigoso, traz prejuízos para a nossa saúde, afirmou o mesmo.

Todo lixo produzido e descartado pelos moradores é recolhido pela prefeitura que armazena os resíduos em área de propriedade da Prefeitura de Guarantã do Norte, que devido à falta de uma cancela para disciplinar o acesso público, tem facilitado o incêndio criminoso no lixão da cidade. É perceptível a névoa tóxica que fica no ar e o cheiro de plástico queimado que invade a área urbana. A lei n 9.605, de 12 de fevereiro de 1998, que trata de crimes ambientais, inclusive poluição, diz o seguinte no Art. 54:
“Causar poluição de qualquer natureza em níveis tais que resultem ou possam resultar em danos à saúde humana, ou que provoquem a mortandade de animais ou a destruição significativa da flora: Pena – reclusão, de um a quatro anos, e multa”.

Uma sociedade que não cuida de seu ambiente está fadada a desaparecer em razão da impossibilidade de sobrevivência da nossa espécie em ambientes muito desfavoráveis à nossa vida. Destruição de florestas, mudança climática, acidificação dos oceanos e poluição são, de longe, os principais problemas e desafios que estamos enfrentando neste século enquanto civilização, e precisamos pender a balança a nosso favor enquanto ainda há tempo. Aqui em nosso município já sentimos muito fortemente aspectos negativos da degradação ambiental, como a poluição de nossa atmosfera, diminuição das chuvas, desaparecimento de nascentes e de nossas florestas nativas. Este quadro precisa ser revertido.

 

Assessoria de Comunicação/Souza, de J.

https://m.facebook.com/story.php?story_fbid=2153486291542015&id=273548862779409

  • Tags:
  • Lixão Municipal
  • Guarantã do Norte
  • Bombeiro Militar
  • Queimada no Lixão